Trabalho de IHC
Curso: Sistemas de Informação
Periodo: 3º Turno: Noite
Grupo:
Jonathan Guimarães
Michel Alessandro
Renan Paim
TECNOLOGIA ASSISTIVA: SOFTWARE

INTRODUÇÃO:

O que é Tecnogia Assistiva?
Tecnologia Assistiva é um termo ainda novo, utilizado para identificar todo o arsenal de Recursos e Serviços que contribuem para proporcionar ou ampliar habilidades funcionais de pessoas com deficiência e conseqüentemente promover Vida Independente e Inclusão. É também definida como uma ampla gama de equipamentos, serviços, estratégias e práticas concebidas e aplicadas para minorar os problemas encontrados pelos indivíduos com deficiências.

Objetivos da Tecnologia Assistiva
Proporcionar à pessoa com deficiência maior independência, qualidade de vida e inclusão social, através da ampliação de sua comunicação, mobilidade, controle de seu ambiente, habilidades de seu aprendizado, trabalho e integração com a família, amigos e sociedade.


Tecnologias Assistivas de Softwares
São ferramentas ou recursos utilizados com a finalidade de proporcionar uma maior independência e autonomia à pessoa com deficiência, ou seja, é como as pessoas com deficiência acessam a web, ou se ultilizam de recursos especiais de software para que sua deficiência não seja um empecilho para tarefas normalmente executadas em um computador.
Atualmente, existem diversos programas que permitem que pessoas com deficiências (as mais variadas) se utilizem dos recursos que o computador oferece. Essas ferramentas podem constituir leitores de ecrã para deficientes visuais, teclados virtuais para portadores de deficiência motora ou com dificuldades de coordenação motora, e sintetizadores de voz para pessoas com problemas de fala. O Windows XP, por exemplo, oferece alguns itens de acessibilidade, como lente de aumento e teclado virtual. Basta ir em programas, acessórios e acessibilidade. Os softwares mais encontrados são os de leitura de páginas como o DOSVOX, que pode ser encontrado gratuitamente, ou o NVDA e o JAWS que são pagos.

Acesso à web e a Tecnologia Assistiva
Deficiência Visual
Cegueira
Para acessar a web, muitas pessoas cegas utilizam o leitor de tela. Alguns usuários usam navegadores textuais como o Lynx ou navegadores com voz em vez de utilizar um navegador comum (navegador com interface gráfica). É muito comum as pessoas cegas se utilizarem da tecla "tab" para navegar somente em links ao invés de ler todas as palavras que estão na página. Deste modo eles têm uma rápida noção do conteúdo da página ou podem acessar o link desejado mais rapidamente.

Leitores de tela: são softwares que lêem o texto que está na tela do microcomputador e a saída desta informação é através de um sintetizador de voz ou um display braille - o leitor de tela "fala" o texto para o usuário ou dispõe o texto em braille através de um dispositivo onde os pontos são salientados ou rebaixados para permitir a leitura.

Navegador textual: é um navegador baseado em texto, diferente dos navegadores com interface gráfica onde as imagens são carregadas. O navegador textual pode ser usado com o leitor de tela por pessoas cegas e também por pessoas que acessam a internet com conexão lenta.

Navegador com voz: é um sistema que permite a navegação orientada pela voz. Alguns possibilitam o reconhecimento da voz e a apresentação do conteúdo com sons, outros permitem acesso baseado em telefone (através de comando de voz pelo telefone e/ou por teclas do telefone).
Exemplos de barreiras ao acessar o conteúdo de uma página:
- imagens que não posuem texto alternativo.
- imagens complexas. Exemplo: gráfico ou imagem com importante significado que não possuem descrição adequada.
- vídeos que não possuem descrição textual ou sonora.
- tabelas que não fazem sentido quando lidas célula por célula ou em modo linearizado.
- frames que não possuem a alternativa "noframe", ou que não possuem nomes significativos.
- formulários que não podem ser navegados em uma seqüência lógica ou que não estão rotulados.
- navegadores e ferramentas de autoria que não possuem suporte de teclado para todos os comandos.
- navegadores e ferramentas de autoria que não utilizam programas de interfaces padronizadas para o sistema operacional em que foram baseados.
- documentos formatados sem seguir os padrões web que podem dificultar a interpretação por leitores de tela.


Baixa visão
Para acessar a web, algumas pessoas com deficiência visual parcial usam monitores grandes e aumentam o tamanho das fontes e imagens. Outros usuários utilizam os ampliadores de tela. Alguns usam combinações específicas de cores para texto e fundo (background) da página, por exemplo, amarelo para a fonte e preto para o fundo, ou escolhem certos tipos de fontes.

Ampliador de tela: é um software que amplia o conteúdo da página para facilitar a leitura.
Exemplos de barreiras ao acessar o conteúdo de uma página:
- páginas com tamanhos de fontes absoluta, que não podem ser aumentadas ou reduzidas facilmente.
- páginas que, devido ao layout inconsistente, são difíceis de navegar quando ampliadas por causa da perda do conteúdo adjacente.
- páginas ou imagens que possuem pouco contraste.
- textos apresentados como imagens, porque não quebram as linhas quando ampliadas.
- e existem outras barreiras, como as apresentadas para pessoas cegas, dependendo do tipo e extensão da limitação da visão.


Daltonismo
refere-se à falta de percepção a certas cores. Uma das formas mais comuns do daltonismo inclui a dificuldade de distinguir entre as cores vermelha e verde, ou amarelo e azul. Algumas vezes o daltonismo resulta em não perceber as cores. Para acessar a web, algumas pessoas personalizam as cores da página, escolhendo as cores das fontes e do fundo.
Exemplos de barreiras ao acessar o conteúdo de uma página:
- quando a cor é usada como único recurso para enfatizar o texto.
- contrastes inadequados entre as cores da fonte e fundo.
- navegadores que não suportam a opção para o usuário utilizar sua própria folha de estilo.

Deficiência auditiva
Algumas pessoas surdas têm como primeira língua, a língua de sinais e podem ou não ler fluentemente uma língua, ou falar claramente.
Para acessar a web, muitas pessoas dependem de legendas para entender o conteúdo do áudio. Pode ser necessário ativar a legenda de um arquivo áudio; concentrar muito para ler o que está na página, ou depender de imagens suplementares para entender o contexto do conteúdo. Os usuários também podem necessitar de ajuste no volume do áudio.
Exemplos de barreiras ao acessar o conteúdo de uma página:
- ausência de legendas ou transcrições de áudio.
- ausência de imagens suplementares relacionadas, como o conteúdo do texto, que poder ter lenta compreensão por pessoas que tem como primeira língua, a de sinais e não a que está escrita ou falada na página.
- ausência de linguagem simples e clara.
- requisitos para entrada de voz.



Deficiência física
A deficiência física ou motora pode envolver fraqueza, limitação no controle muscular (como movimentos involuntários, ausência de coordenação ou paralisia), limitações de sensação, problemas nas juntas ou perda de membros. Algumas pessoas podem sentir dor, impossibilitando o movimento.
Para acessar a web, as pessoas com problemas nas mãos ou braços podem utilizar um mouse especial, um teclado alternativo com disposição da teclas que estejam de acordo com o movimento da mão, um dispositivo tipo ponteiro fixado na cabeça ou na boca; software de reconhecimento de voz; ou outras tecnologias assistivas para acesso e interação.
Teclado alternativo: é um dispositivo de hardware ou software que pode ser usado por pessoas com deficiência física, que fornece um modo alternativo de dispor as teclas como por exemplo, teclado com espaçamentos maiores ou menores entre as teclas. Podem também possuir travas que permitem a pressão de uma tecla por vez, teclado na tela ou outras modalidades.
Exemplos de barreiras ao acessar o conteúdo de uma página:
- atividades onde o tempo de utilização é limitado.
- navegadores e ferramentas que não possuem suporte para teclado alternativo ou botões para todos os comandos efetuados por mouse.
- formulários que não podem ser navegados com a tecla "tab" em uma seqüência lógica.



Deficiência mental
As pessoas com deficiência mental podem apresentar dificuldades em processar a linguagem escrita ou oral; focar uma informação ou entender informações complexas.
Para acessar a web, as pessoas com deficiência na aprendizagem, podem necessitar de diferentes modalidades ao mesmo tempo, para acessar a informação. Por exemplo, alguém que possui dificuldade na leitura, pode usar um leitor de tela com sintetizador de voz para facilitar a compreensão do conteúdo da página, enquanto uma pessoa com dificuldade em processar a audição, pode ser auxiliado por legendas para entender um áudio.
Outras pessoas precisam desativar animações ou sons a fim de focar o conteúdo da página, necessitar de mais tempo ou depender de imagens para entender o que lhe está sendo informado.
Exemplos de barreiras ao acessar o conteúdo de uma página:
- ausência de alternativas para permitir o recebimento das informações, como ausência de texto alternativo que pode ser convertido em áudio, de imagens suplementares ou de legendas para áudio.
- elementos visuais ou de áudio que não podem ser facilmente desligados.
- falta de clareza e consistência na organização das páginas.
- uso de linguagem complexa sem necessidade.
- páginas com tamanhos de fontes absoluta, que não podem ser aumentadas ou reduzidas facilmente.
- uso de imagens trêmulas ou sinais com uma certa freqüência de áudio que podem causar desconforto.



Softwares, ferramentas e outros recursos de tecnologia assistiva:

O deficiente visual tem várias ferramentas que podem auxiliar no seu dia-a dia, nos estudos e no lazer. Todos os anos surgem novidades nessa área, desde bengalas com sensores até computadores feitos especialmente para cegos. Infelizmente essas novidades nem sempre estão acessíveis à maioria dos deficientes visuais pelo seu alto custo. Muitos desses produtos são importados e por isso, ficaram ainda mais caros por causa da recente alta do dólar. O uso do computador ajuda no desenvolvimento dos portadores de necessidades especiais, facilitando o aprendizado com os recursos de escrita, leitura e pesquisa de informação. O que permitiu o acesso do cego no Brasil ao mundo da informática foi o lançamento dos programas leitores de tela, como o DOSVOX, o Virtual Vision e o Jaws. Com esses programas o deficiente visual pode não apenas ler e escrever textos no computador, como navegar na Internet. Já existe um movimento internacional no sentido de tornar as páginas de Internet cada vez mais acessíveis ao deficiente visual. Seguindo algumas regras simples de diagramação, qualquer página de Internet pode ser lida pelos programas leitores de tela, abrindo também para o deficiente visual um mundo novo de informações que estão disponíveis na Internet.

O Kurzweil 1000 - fornece material acessível aos professores, em formatos apropriados para estudantes cegos, ou com baixa visão. Desta forma, tanto os cegos, como os deficientes com baixa visão ganham outra independência e não necessitam de recorrer a recursos humanos para desempenharem o seu trabalho.
Este software, além do reconhecimento de 100% de qualquer texto de papel, pode ainda reconhecer documentos em formato eletrônico, letras em figuras, ou mesmo, em documentos pdf.

ZoomTex - O ZoomText é a mais poderosa ferramenta de acesso ao computador para pessoas com problemas de visão. O ZoomText é considerado, unanimemente, à 6 anos consecutivos o melhor software de ampliação, para Windows.

DOSVOX - Primeiro programa de leitura de tela feito no Brasil, o DOSVOX é um sistema destinado a auxiliar o deficiente visual a fazer uso do computador através de um aparelho sintetizador de voz. O sistema foi desenvolvido no Núcleo de Computação da Universidade Federal do Rio de Janeiro e vem sendo aperfeiçoado a cada nova versão por programadores deficientes visuais.

BR Braille - Programa transcritor de textos em caracteres Braille para caracteres alfanuméricos em português.

Braille Creator - Software que permite criar textos em Braille no computador com vários recursos e é compatível com as principais impressoras Braille no mercado.

Braille Fácil - Programa que permite digitar diretamente ou importar um texto de um editor de texto convencional para preparar textos que podem ser enviados para uma impressora braille.

Dolphin - Esse software inclui um leitor de tela para cegos e um ampliador de tela para pessoas com visão subnormal.

Jaws - Considerado atualmente o leitor de tela mais popular do mundo, o Jaws for Windows da norte-americana Freedom Scientific possui um software de sintetizador de voz que utiliza a própria placa de som do computador. O Jaws roda em diversos idiomas, inclusive em português. O programa tem a capacidade de ler certos recursos de páginas de internet que outros programas do gênero não têm.

Openbook - É um dos softwares lideres de leitura OCR desenvolvido para os portadores de deficiências visuais.

Pocket Voice - uma aplicação informática que, fazendo uso da linguagem pictórica, simbólica e do simples texto, possibilita ao utilizador reproduzir sonoramente o que não se consegue dizer por incapacidade física.
Desenvolvido pelo casal de programadores Carla Vieira Faria e Pedro Ivo Faria, o "software" em questão ganhou no ano transacto o concurso nacional da especialidade promovido pela Microsoft, sendo pelos criadores disponibilizado gratuitamente a quem precisa.

Slimware Window Bridge - Foi o primeiro programa de leitura de telas e recebeu um prêmio internacional em 1996 como uma contribuição importante para o desenvolvimento tecnológico.

Tecla Fácil - Esse programa permite o treinamento de técnicas de digitação com o uso de teclado alfanumérico e numérico do microcomputador por cegos e portadores de visão subnormal, de forma autônoma.

Virtual Vision - Outro programa leitor de tela brasileiro, o Virtual Vision foi desenvolvido pela MicroPower. O Virtual Vision é totalmente adaptado para o uso do sistema operacional Windows e seus aplicativos e não requer sintetizador de voz externo. O programa utiliza o Delta Talk, a tecnologia de síntese de voz que garante, segundo o seu fabricante, a qualidade de áudio como o melhor sintetizador de voz em português.

WAT - IBM Web Adaptation Technology - Um navegador para pessoas com baixa visão, que pode ser configurado conforme a necessidade do usuário.
A IBM, em parceria com a Rede SACI, tem um projeto de utilização e acompanhamento do software.

Windows-Eyes - Outro programa de leitura de telas que inclui novos recursos importantes para facilitar o acesso à Internet para os deficientes visuais.





Referencias Bibliograficas:
*
http://www.serpro.gov.br/acessibilidade/acesso.php
*
http://www.assistiva.com.br/
*
http://www.saci.org.br/?modulo=akemi&parametro=6897
*
http://www2.uol.com.br/JC/sites/limites/texto/53_acessibilidade.html
*
http://www2.camara.gov.br/acessibilidade/constituicaoaudio.html
*
http://www2.uol.com.br/JC/sites/limites/texto/53___
*
http://www.w3.org